Duratex apresenta resultado do 2T20 e vê tendência de crescimento passado o agravamento da pandemia

Compartilhe nas Mídias Sociais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Resultado no período surpreende positivamente e indica sinais de recuperação após arrefecimento da economia

São Paulo, 29 de julho de 2020 – A Duratex anuncia os resultados financeiros do segundo trimestre (2T20) do ano. Tendo em vista os impactos da pandemia da COVID-19 na economia, os resultados obtidos superaram as expectativas iniciais. A companhia registrou EBITDA ajustado recorrente de R$ 119,0 milhões, 44,2% menor do que o observado no mesmo período do ano anterior. Entretanto o volume de vendas representou 85% do que foi observado no mesmo período em 2019.

Devido a pandemia, a companhia teve que paralisar ou reduzir a velocidade das operações em parte dos ativos fabris, levando a uma perda na escala de produção e, consequentemente, menor diluição de custos fixos. No segundo trimestre de 2020, a Duratex apresentou lucro líquido negativo de R$ 23,5 milhões, ainda que a receita líquida de R$ 1.046,4 milhões seja apenas 8,6% menor do que o observado no mesmo período do ano passado.

“No mês de abril, suspendemos temporariamente as atividades nas unidades da Divisão Madeira, da unidade de chuveiros elétricos da marca Hydra e da unidade de louças Deca em Queimados (RJ), além de reduzir a capacidade produtiva das demais unidades da Divisão Deca e de Revestimentos Cerâmicos. A reabertura das lojas de materiais de construção e home centers – em maio -, a não interrupção da atividade de construção civil e a agilidade na retomada da Duratex resultaram na melhora do desempenho da companhia, que demonstrou crescimento importante no decorrer do 2º trimestre, crescimento este confirmado no mês de julho, indicando um horizonte promissor para os próximos meses. Desde o final de junho estamos operando muito próximos da plena capacidade”, comentou Henrique Haddad, vice-presidente de Administração, Finanças e RI.

Desde o início da pandemia da COVID-19, a Duratex tem tomado medidas que priorizam a segurança e saúde de seus colaboradores e sua liquidez financeira. O Comitê de Crise, instituído em março, formado por executivos de diversas áreas, seguiu atuando enquanto centro de informações, gerenciamento de riscos e auxiliando na tomada de decisões. Além das medidas de proteção à força de trabalho, alinhadas com as recomendações das autoridades sanitárias, as iniciativas de redução de custos continuam a ser implementadas na companhia, o que ajuda a compensar os efeitos da crise, sendo que parte será recorrente.

Na frente de Finanças, diante das incertezas do cenário econômico, a Duratex manteve-se focada em garantir a sua liquidez financeira. As ações da companhia na mitigação dos efeitos da crise já são perceptíveis em alguns índices, como a redução nos níveis de estoques do trimestre. Diante destes efeitos, o capital de giro do período foi positivo em R$ 80,9 milhões, levando a companhia a gerar R$ 69,1 milhões de caixa, se desconsiderados os valores relativos a projetos de expansão. No trimestre a Duratex efetuou investimento direto de R$ 211,0 milhões no projeto de construção da nova unidade de celulose solúvel (LD Celulose).

A Dívida Líquida da companhia encerrou o segundo trimestre do ano em R$ 2.180,1 milhões, R$ 121,3 milhões acima do apresentado no 1T20, o que levou a um índice de alavancagem de 2,55x, resultado dentro da média histórica da companhia. O aumento da alavancagem deu-se principalmente pelo investimento na nova fábrica da divisão de celulose solúvel somado à piora no cenário econômico, que levou a uma queda relevante do EBITDA, apesar de parcialmente compensado pela maior geração de caixa no período.

Resultados por divisões

Divisão Madeira registrou queda no volume vendido ao longo do trimestre, com retração em abril e recuperação ao longo de maio, confirmada por resultado muito positivo em junho. A posição da companhia está alinhada com o mercado brasileiro de painéis de madeira, que apresentou retração de 21,9% em relação ao segundo trimestre do ano anterior, conforme dados da IBA. No entanto, a Duratex apresentou rápida reação e, com o reaquecimento do mercado em junho – mês que registrou crescimento de quase 20% frente a junho de 2019 – alcançou volume total em torno de 80% do realizado no segundo trimestre de 2019.

Na Divisão Deca o volume de vendas representou 87,9% do realizado no mesmo período do ano anterior, levando a divisão a apresentar, em junho, margem EBITDA superior ao segundo trimestre de 2019. Dados da ABRAMAT indicaram retração do setor em abril, com queda nas vendas de 33,5% em relação ao ano anterior, seguido por tendência de recuperação no nível de vendas dos materiais de construção ao longo dos meses seguintes, com crescimento de 12% registrado em maio. A marca Hydra alcançou recorde de vendas em chuveiros elétricos no período, refletindo a bem-sucedida estratégia comercial da Divisão.

Divisão de Revestimentos Cerâmicos, que opera com as marcas Ceusa e Portinari, registrou desempenho alinhado ao setor, com quedas durante abril e maio e recuperação em junho, segundo dados da ANFACER. O aumento no volume expedido de 192% em relação ao segundo trimestre de 2019 é explicado pela incorporação do volume advindo da aquisição Cecrisa, computado a partir do primeiro trimestre de 2020. Em relação ao trimestre anterior, a divisão registrou volume 7,5% menor.

No segundo trimestre, a Duratex finalizou o processo de captação da dívida da LD Celulose. Por meio deste, foram emitidos US$ 1.147,0 milhões, com prazo médio de 10 anos, junto às instituições BID Invest, IFC e Finnvera. Ainda no trimestre, a Duratex realizou o aporte de R$ 211,0 milhões, concretizando mais uma etapa do seu investimento da nova unidade. Consolidado por meio de equivalência patrimonial, a Divisão apresentou resultado negativo de R$ 23,6 milhões.

Sobre a Duratex

A Duratex S.A. é uma empresa brasileira, privada e de capital aberto, controlada pela Itaúsa – Investimentos Itaú S.A – e pela Companhia Ligna de Investimentos. Com as marcas Deca, Hydra, Duratex, Durafloor, Ceusa e Portinari, é considerada uma das 10 maiores empresas do mundo nos setores nos quais atua e a maior produtora de painéis de madeira industrializada e pisos, louças e metais sanitários do Hemisfério Sul, além de ser uma das maiores produtoras de revestimentos cerâmicos do Brasil.

Com sede administrativa em São Paulo, possui 21 unidades industriais e florestais estrategicamente localizadas (Estados de Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo), além de três fábricas de painéis na Colômbia – Duratex Colômbia. A Duratex também é proprietária da LD Celulose, por meio de joint venture com o Grupo Lenzing e da Caetex, joint venture criada para o plantio de florestas de eucalipto em Alagoas. Suas ações estão listadas no Novo Mercado (o mais elevado padrão de Governança Corporativa) e na versão 2019/2020 da B3 – ISE.

Redação Negócios Pro Br

Redação Negócios Pro Br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.