Webinar – Gerenciamento de Stakeholders para mitigação de riscos socioambientais

Compartilhe nas Mídias Sociais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Slide NPBR JOANA ok

Por Allana Schutz – Estagiária Negócios Pro Br

O Negócios.pro.BR realizou um webinário de Gerenciamento de Stakeholders, com a especialista Joana Menezes, engenheira sanitarista e ambiental da Draxos Consultoria e Gestão Ambiental.

O webinar teve uma participação bem alta e um público bastante engajado, o que o tornou bastante interativo. Através de votações online pudemos notar que 60% do publico já aplicava alguma metodologia e parte já entendia o conceito.

O conhecimento de Stakeholders é fundamental para empresas de todos os segmentos, visto que se trata de um fator importante para o sucesso de um negócio. Este termo que define um público estratégico, frequentemente utilizado em áreas da comunicação, administração e tecnologia de informação. Sua função é designar as pessoas e grupos mais importantes para um projeto: a parte interessada.

Todas as ações de uma empresa devem ser pensadas a partir de Stakeholders, pois as práticas e políticas do negócio afetarão diretamente essas pessoas ou grupos, de forma positiva ou negativa.

A análise de Stakeholders é um processo sistemático de coleta e análise de dados e informações sobre os interesses que ajuda a gerenciar riscos. A probabilidade da ocorrência de eventos como conflitos econômicos, estratégicos, financeiros ou políticos, influencia no cálculo de seu risco.

De acordo com o jornal americano The New York Times, o impacto dos bens intangíveis para uma empresa chega a 75%, considerando que a valorização se dá tanto por bens matérias quanto imateriais. Assim, é indispensável pensar em quais são as ferramentas necessárias para fazer a leitura de um território para atuar de forma estratégica nele.

Em um contexto nacional, existem muitos movimentos sociais e conflitos existentes, na sua maioria, na área rural. Onde os grupos sociais mais afetados são comunidades locais, por isso, é fundamental que a organização atuando nesse território esteja atenta a essas situações. E, por isso, há uma tendência a se trabalhar com uma cartografia social, para uma melhor avaliação desse território, e muito da comunicação é feita através de cartas com imagens representativas, pois muitos não possuem alfabetização.

Ter uma escuta atenta e valorizar a cultura local é a mudança necessária, a fim de produzir um bom relacionamento com as partes interessadas.

A partir do momento em que as partes interessadas estão engajadas, elas passam a fornecer dados e prevenir os riscos socioambientais e ajudar na monitoração, e pra isso temos uma série de ferramentas para administrar.

O cadastro social, desenvolvido pela Draxos, guia a produção e coleta de dados, para manter a comunicação ativa e assertiva com os grupos e partes interessadas, podendo ser utilizado através da Draxos Consultoria e Gestão Ambiental.

Assim, o movimento precoce com as partes, faz com que a organização gere um resultado positivo para todos os envolvidos. 

Redação Negócios Pro Br

Redação Negócios Pro Br

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.