STI Norland Brasil dá início às entregas do novo projeto de energia solar fotovoltaica da Athon Energia, no Pará

Compartilhe nas Mídias Sociais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

São Paulo, 05 de outubro de 2020 – A STI Norland Brasil, líder no país em fabricação de rastreadores solares e fabricante de estruturas fixas, começou as entregas das atividades do projeto Marabá, no Pará, que terá potência de 6,03MW. Com mais de 100 projetos no Brasil, a STI Norland já alcançou a marca de 2GWp de energia vendida, em março de 2020, e vem aumentando consideravelmente seu volume de projetos.

“Este é um dos grandes projetos em que a STI Norland Brasil está envolvida atualmente. Neste, estamos não somente fornecendo os trackers solares, mas também realizando a montagem dos equipamentos. Temos observado como a energia solar vem crescendo, significativamente, no Brasil e está se tornando protagonista das fontes de energia limpa, principalmente pelo seu ótimo custo-benefício. Estamos muitos satisfeitos por fazer parte do fortalecimento desta fonte de energia no País”, comenta Javier Reclusa, CEO da STI Norland Brasil.

Os produtos utilizados no projeto Marabá são do modelo STI-H250, que é o tracker bilinha, o primeiro deste tipo do mercado trazido pela STI Norland, a pioneira no desenvolvimento dessa tecnologia. Os trackers funcionarão com um conjunto self-power, ou seja, os equipamentos são autoalimentados por um único painel, responsável por carregar a bateria, capaz de movimentar 120 módulos.

O grande diferencial dos serviços da STI Norland é a tecnologia acoplada e planejada juntamente com a engenharia dos produtos. No STI-H250, a TCU, que é como o cérebro do tracker, armazena as configurações e realiza o gerenciamento das posições para o maior ganho de energia. Com um motor simples e robusto, acoplado a caixa redutora, a TCU faz essa comunicação, permitindo que o tracker mova facilmente o conjunto mecânico, onde os painéis são fixados. Toda essa tecnologia está embutida num conjunto mecânico simples e de fácil construção, o que favorece a manutenção da usina durante sua vida útil.

A Athon Energia investiu cerca de R$ 22,8 milhões na construção da usina solar de Marabá, no Pará. A usina é capaz de gerar mais de 11.000 MWh por ano, ajudando o meio ambiente, por evitar a emissão de mais de 825 toneladas de C02 por ano.

Este é um projeto da chamada geração distribuída, quando a geração de energia provém de pontos próximos ou até mesmo na própria unidade consumidora (casas, empresas e indústrias). A STI Norland é a única empresa do setor que trabalha com os dois tipos de geração de energia no Brasil: distribuída e centralizada. Na geração distribuída, a empresa é a maior fornecedora de rastreadores solares, responsável por 90% da participação de mercado, já em projetos de energia centralizada, a empresa detém 39% do mercado.

A Athon Energia é a proprietária da usina de Marabá. A empresa do ramo de energia e foi capitalizada por um renomado grupo de investidores e entusiastas do segmento de energia limpa e, assim como a STI Norland, tem como objetivo acelerar o processo de transformação da matriz energética, por meio do aumento da participação de fontes renováveis.

Redação Negócios Pro Br

Redação Negócios Pro Br

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.