MENU

Um Executivo no isolamento social…

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Por Robson Castro

A maioria dos Executivos está acostumada a liderar de perto, interagir, acompanhar desempenhos, dar e receber “hot feedbacks”, avaliar comportamentos, incentivar o engajamento e tudo mais para promover um ambiente feliz e produtivo, integrando pessoas e processos.

E no decorrer da carreira são inúmeros os desafios e mudanças de mercado que exigem do executivo a sabedoria e experiência para reverem ou executarem estratégias que atendam os novos objetivos do negócio com o menor impacto possível no ambiente e estrutura organizacional.

Crises financeiras e políticas, inovações tecnológicas, concorrência, fusões, aquisições e incidentes imprevistos são alguns dos cenários que, há anos, têm contribuído na mudança em Empresas e na maneira como os Executivos se readaptam a elas.

Mas agora, com o distanciamento imposto pelo Covid-19, mesmo os modelos tradicionais em gestão de Empresas & Negócios não são mais tão eficazes e, a depender do segmento de mercado, seus Executivos podem não estar exercendo seu papel de liderança como antes.

Esta não é uma afirmação absoluta, pois acho que não se aplica tanto nos Setores Primário e Secundário da economia (agricultura, pecuária, mineradoras, fábricas, operações logísticas etc.); que apesar da redução na produção, precisam de seus Executivos para o gerenciamento das operações nas Empresas que, inclusive, têm a vantagem de maior controle sobre a pandemia por estarem localizadas longe dos grandes centros urbanos.

Por outro lado, as áreas corporativas desses mesmos setores que ficam nos grandes centros e que junto com o Setor Terciário (prestação de serviços, comércio, financeiro, educação etc) vêm sendo fortemente atingidos com lock-downs e distanciamentos, reduzindo sensivelmente a interatividade de alguns Executivos?

Com exceção para a área de tecnologia, tenho ouvido queixas a respeito do isolamento social de alguns Executivos que apontam dificuldades na gestão de pessoas, jamais vividas na carreira, apesar das reuniões remotas, webinars e videoconferências tão propagadas e elogiadas.

Este isolamento social pode estar mudando a rotina diária do Executivo e dificultando sua capacidade de adaptação e exposição, com eventual repercussão negativa na imagem dele perante subordinados, pares e o Board da Empresa.

Esta possibilidade pode corroborar com a já instalada queda de demanda das Empresas que tiveram seus negócios reduzidos com a Covid-19 e resultar no desligamento de Executivos considerados menos essenciais neste momento de crise.

Talvez não tenha uma fórmula única que funcione em todas as Empresas para eliminar o isolamento de um Executivo, mas acredito que trazer isso para um nível maior de consciência e trabalhar de forma pontual, com atitude assertiva, presença, acompanhamento constante e divulgação de conquistas, possa contribuir para se evitar o pior.

Publicidade

Mais Publicações como esta

63 respostas

    1. Parabéns pela matéria. Acredito que ainda estamos em fase de grandes mudança onde alguns setores já se adaptaram e estão conseguindo ótimos resultados com redução de custos e benefícios aos colaboradores. Agora a principal mudança este em nos mesmos. Se não mudarmos o modelo de gestão e nos atualizarmos tecnologicamente estaremos fadados ao fracasso.

  1. O autor nos trouxe uma outra percepção do home office neste momento que vivemos. Vejo rotineiramente pessoas elogiando e dizendo que este modelo seria uma tendência futura, principalmente aqueles que não são “tão” engajados nos objetivos da empresa. Assim como o Robson , seguindo nesta linha, acho que a falta do olho no olho afasta e prejudica a liderança e o processo decisório.
    Gostei do artigo. Valeu Robson.

  2. Muito boa a abordagem do tema que, embora esteja retratando está fase “sombria” em nossas carreiras, será por muito tempo, matéria de estudos na análises.
    Parabéns Robson Castro, pela vanguarda de estudos e análises comportamentais no vasto universo de Recursos Humanos!!!

  3. Muito bom xará! Com certeza esse é um assunto que merece ser aprofundado e divulgado para que mais pessoas reflitam… o caminho é do diálogo para ampliar a consciência. Parabéns!

  4. Concordo em gênero, número e grau com o texto. Os seres humanos não foram criados para o isolamento por longos períodos. Somos seres sociais e a continuidade desse afastamento ainda trará muitos problemas emocionais nas relações, principalnente no trabalho.

  5. Parabéns caro Amigo, bela abordagem.
    Com clareza, determinação e garra é possível virar esse jogo.
    Estaremos juntos nessa empreitada.
    Orgulhosa do seu trabalho, sempre impecável.

  6. Excelente reflexão sobre uma nova realidade que tende a permanecer por muito tempo e acabará sendo tema de análise mais profunda da sua parte. Parabéns!

  7. Parabéns pelo artigo Robson! Sem dúvida alguma, os executivos tiveram que se readaptar e readaptar seu estilo de gestão nesse periodo de distanciamento. Acredito que os perfis mais “centralizadores” sofreram um pouco mais o impacto. Excelentes reflexões! Obrigada!

  8. Prezado Robson,
    Excelente artigo.
    Realmente essa é uma nova realidade à qual os executivos têm que se adaptar.
    Apesar de que esta situação de isolamento social seja transitória, suas consequências serão definitivas.
    O modelo híbrido de home office e escritório é o que se espera para o futuro, tendendo a um maior tempo dos funcionários em casa.
    Portanto o “novo” executivo terá que aprender a lidar com um novo tipo de liderança, com mais distância física, com mais reuniões virtuais e com menos calor humano e contato.
    Obrigado por nos fazer refletir sobre o tema.

  9. Excelente reflexão sobre uma nova realidade que tende a permanecer por muito tempo. Home office veio para ficar, mesmo que seja de forma parcial no futuro. A atividade remota será parte da rotina do executivo. Parabéns pelo artigo.

  10. Parabéns, meu amigo.
    Esse tema é extremamente atual e muito relevante para o mundo corporativo.
    Essa pandemia veio para impactar a nossa rotina e trazer muitas mudanças, mudanças essas que nem sempre são positivas. Por esse motivo a necessidade da atualização constante é imprescindível e para minimizar esses impactos os profissionais da área de gestão devem sempre se fazerem presentes para que possam validar o motivo de estarem ali.
    Parabéns pelo artigo de grande relevância nos dias atuais.

  11. Excelentes colocações..Você como sempre um.grande profissional que nos impulsiona a buscar sempre o melhor é vencer limitações….GRATIDÃO!!

  12. Seus posicionamentos nos faz pensar, refletir e construir mecanismos de adaptação.
    Entendo que a adaptação com atitude nos permitirá estar em evolução constante e permanente.

    Obrigado 👍🤝

  13. Bom dia Robson. Excelente artigo. Concordo plenamente com sua análise. Essa nova situação (Covid) força uma nova visão por parte dos executivos, no mundo, não sós no Brasil.
    Olho no olho é essencial mas essa adaptação também é.

    Novamente parabéns!!!!!!

  14. Gostei muito do texto!
    Penso que por mais que a tecnologia nos ajude em muitas coisas, há necessidade de equilíbrio, como em tudo na vida. Vejo as pessoas reclamando do stress causado pela convivência extrema com a família em casa, além da falta da troca natural do dia-a-dia no trabalho.
    São desafios que precisam ser vencidos com empatia, paciência, criatividade e disposição para achar soluções particulares.