Você sabe o que é IoT e como essa ferramenta pode ser aplicada para o desenvolvimento dos negócios?

Compartilhe nas Mídias Sociais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Listen to this article
Listen to
this article
Text to speech by Listencat
Text to speech
by Listencat

Em um contexto de expansão da tecnologia para utilização no beneficiamento de diversos negócios, a Internet of ThingsIoT, no Brasil chamada de Internet das Coisas, se destaca, porque, em síntese,transforma um objeto simples em dispositivos capazes de se conectar com outras coisas e pessoas, para transmitir informações, gerar dados que que se tornam um valioso recurso na construção de uma inteligência artificial mais personalizada que ajuda o Empresário nas definições de monitoramento, aumento da eficiência, produtividade e otimização de custos dos negócios.

Para Ajay Banga, CEO da Mastercard, a expansão da internet das coisas é uma das tendências do futuro, uma vez que bilhões de objetos conectados geram inúmeros dados que só crescem de forma exponencial, inclusive sendo mais valioso do que o petróleo, porque o recurso natural é finito, enquanto os dados só se multiplicam.

Uma pesquisa realizada pela consultoria McKinsey em 2017, estimou que em 2025 a IoT deve gerar receitas que variam entre U$ 3,9 trilhões e U$11,1 trilhões, podendo chegar a 11% do PIB global.

Destaca-se a aplicação da IoT no Brasil nos segmentos da indústria, cidades inteligentes, agronegócio e saúde. A internet das coisas é encontrada na conectividade dos smartphones, televisores e geladeiras inteligentes, assistentes virtuais, robôs que realizam cirurgias, sensores de segurança, caixas virtuais, totens de atendimento ao cliente, assistentes pessoais virtuais, dentre outras inúmeras aplicações.

Para o Presidente da Associação Brasileira de Internet das Coisas (ABINC) Paulo Spacca, em entrevista ao portal “Whow”, podem ser exemplos de aplicação da IoT nos negócios, o desenvolvimento de um comércio inteligente, através do qual sensores instalados são responsáveis por coletar dados, desde o funcionamento de câmeras de vigilância, consumo de energia, entrada de clientes na loja, a fim de obter mais sucesso no desenvolvimento de estratégias e análises de campanhas de marketing; utilização da “NFC” como tecnologia de pagamento seguro através de smartphones ou relógios inteligentes e a utilização de drones para entregas de produtos, como já ocorre em alguns locais nos Estados Unidos da América.

Em 2019, o Decreto nº 9.854/2019 instituiu o Plano Nacional de Internet das Coisas, com a finalidade de implementar e regulamentar a IoT no país, com base na livre concorrência e livre circulação de dados, observadas a segurança da informação e a proteção de dados pessoais. Neste esteio se destaca a integração do decreto com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais – LGPD, Lei nº 13.709/2018, visto que quando os dados gerados pela IoT se relacionarem a dados pessoais, estes deverão ser tratados observando os direitos do titular e diversos princípios previstos na lei, tais como, finalidade, autodeterminação informativa e adequação.

Importante ressalvar ainda, que algumas soluções de IoT, necessitam de autorização da Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel para homologação e certificação dos equipamentos e processos, assim o atraso na implantação da internet 5G no Brasil, os custos e a interoperabilidade entre os próprios aparelhos interconectados, também se tornam desafios para a plena expansão dessa tecnologia.

Desta maneira, o fato do Brasil ter um Plano Nacional de Desenvolvimento da IoT se torna de extrema importância para o estímulo da utilização das novas tecnologias, objetivando a ampliação dos negócios, com pilares de preservação da proteção dos dados pessoais e da segurança de informação, entretanto, para sua plena eficiência as empresas e o Poder Público precisarão superar desafios de infraestrutura para o seu pleno desenvolvimento.

Fontes:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2019-2022/2019/Decreto/D9854.htm#:~:text=DECRETO%20N%C2%BA%209.854%2C%20DE%2025,que%20lhe%20confere%20o%20art.

https://canaltech.com.br/internet-das-coisas/decreto-instaura-o-plano-nacional-de-internet-das-coisas-142751/

https://whow.com.br/novas-tecnologias/negocios-beneficiar-internet-das-coisas/

https://www.mckinsey.com/business-functions/mckinsey-digital/our-insights/the-internet-of-things-the-value-of-digitizing-the-physical-world#

Érica Pinheiro

Érica Pinheiro

Advogada, Professora de Direito Digital e Mestranda em Direito, Governança e Políticas Públicas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.